Trupe Circus

Apresentação

Trupe Circus

A Trupe Circus está vinculada, no bojo das ações empreendidas pela Escola Pernambucana de Circo, ao nosso Projeto de formação artístico-pedagógica de adolescentes e jovens, um das linhas de ação da instituição.

Trupe Circus: grupo, coletivo, junção, união, emoção. Todas essas palavras representam o que é a Trupe Circus, coletivo de adolescentes e jovens unidos pela paixão ao circo, que desafia a desarmonia da contemporaneidade e constrói oportunidades sócio-produtivas-educativas através da arte circense.

A partir da confiança e respeito pelas questões e ações juvenis, estamos desenvolvendo uma experiência concreta, com excelentes resultados intermediados pela Pedagogia do Circo Social, com a inserção dos/das jovens da Trupe Circus no mercado de trabalho artístico e educacional da nossa cidade. Isso porque entendemos e acreditamos que a arte constitui um canal privilegiado para apurar os sentidos da cultura e a construção de identidades individuais e coletivas e, sabemos, o mundo produtivo é importante alicerce para alcançar estes e outros objetivos, ainda mais quando focamos a juventude.

Assim, a Trupe Circus trata da formação e qualificação profissional de jovens artistas, trabalhando primordialmente os valores baseados na Pedagogia do Circo Social: a valorização do potencial juvenil, formando-os em agentes sociais e agregando competências para que possam propor alternativas diferenciadas de formação cultural e política para a sociedade e/ou espaços onde estão inseridas e inseridos.

Caso queira os nossos espetáculos, nossas atividades de vivências circenses em festas e eventos diversos ou outra intervenção artística e pedagógica utilizando as diversas modalidades do circo, contacte-nos e contrate-nos.
O e-mail é producao.epc@gmail.com e o coordenador responsável pela Trupe é Alexsandro Silva.

Trajetória

Nossos sonhos transfiguram nossos desejos e anseios mais singelos. E por que não realizá-los?

“Círculos que não se fecham…Experimento n.1” por Karina Morais
“Círculos que Não se Fecham… Experimento nº 1” por Karina Morais

Desde o início de sua trajetória em 2000, a Trupe Circus já montou nove espetáculos, sendo os cinco primeiros Brincadeiras no Picadeiro (2000), Elementos (2002), O Vendedor de Caranguejo (2004), Estradas Cruzadas no Circo (2006) e Presepadas (2008). Participou, em 2005, do XI Festival Janeiro de Grandes Espetáculos – importante festival competitivo da cidade do Recife – com o espetáculo O Vendedor de Caranguejo recebendo quatro prêmios, dentre os quais o de melhor espetáculo infantil.

Em 2009 a Trupe Circus estreou o espetáculo Ilusão – Um Ensaio Melodramático Circense – que ficou em cartaz até 2012 – e participou de diversos eventos da cidade e do país, como o I Festival de Circo Social de Nossa América, em Goiânia-GO, produzido pela Rede Circo do Mundo Brasil. Ilusão – Um Ensaio Melodramático Circense encerrou sua carreira com uma turnê pelo nordeste patrocinada pela PETROBRAS dentro do projeto de aprimoramento artístico da Trupe Circus, ação subsidiada pelo Programa PETROBRAS CULTURAL/2010. Ainda em 2009, a Trupe Circus estreia Sonho do Circo. Um espetáculo leve, onde a brincadeira e a alegria são o norte de uma dramaturgia enredada pela amizade e pelos sentimentos de coletividade e cooperação próprias do circo. Sonho do Circo vem percorrendo uma longa carreira: foi apresentado 02 vezes no Festival de Inverno de Garanhuns/PE e ainda em outras cidades do interior do Estado que fazem parte do Festival Pernambuco Nação Cultural (Fundarpe); fez parte da programação do Festival de Teatro para Crianças de Pernambuco e do Festival de Circo do Brasil/2012 e 2013; ainda em 2013 participou do I Festival da Criança em Recife e do 6º Festival de Circo de Campo Mourão/Paraná.

2011: a Trupe Circus estreia o espetáculo Círculos que Não se Fecham… Experimento nº 1 com grande repercussão do público e da mídia. Participa do Seminário Internacional de Crítica Teatral no Recife; do 5º Festival de Circo do Brasil – também em Recife –; do III Seminário Nacional de Arte-educação do SESC-PE e do V Festival Palco Giratório do SESC-PE.

Círculos que Não se Fecham… Experimento nº 1 propõe uma reflexão sobre a juventude contemporânea ao tornar relevantes seus espaços, seus pensamentos, suas ideias e práticas. É preciso dar credibilidade aos caminhos que os jovens trilham, sermos parceiros e parceiras. Precisamos estar atentos e fortes nesse caminho que se faz no caminhar, porque “um passo à frente e você já não está mais no mesmo lugar”, não é mesmo?

Em 2014, a EPC realizou sua primeira estreia em âmbito nacional com o espetáculo Um dia de Circo na Praia – uma aventura inusitada, o 9º do repertório da Trupe Circus. O I Festival Nacional de Circo Social de Toledo/Paraná foi quem primeiro sentiu o calor da nossa montagem.

“Nunca um acontecimento, um fato, um feito, um gesto de raiva ou de amor, um poema, uma tela, uma canção, um livro tem por trás de si uma única razão.” – Paulo Freire